domingo, maio 31

Vão balões...



Vago, indecifrável… assim és.

Tu não vens dos pontos cardeais.

Não és de se tocar.

Tenho-te frágil, preso por uma imagem.

Depois desapareces...
Como balões de criança em dias de festa.

2 comentários:

Nádia disse...

lindo este texto... cheio de vida

ivo ribeiro disse...

mergulho nas tuas palavras
e tenho vontade de permanecer aqui para sempre

deitar-me sob a luz das tuas estrelas
até transbordar com as tuas águas

e só na presença das tuas palavras
ressuscitar

~Ivo Ribeiro