quinta-feira, junho 4

Já não arde!


E os frutos que encontro ou colho apodrecem-me nos dedos.

E junto ao tronco não sinto o baloiçar das folhas, caídas que já estão.

E quando alcanço a praia batida pelo sol de fim de tarde, o mar já me roubou a areia, no momento em que eu poderia possuí-la.


E não há salpico de luz que me toque a sombra.


É a chama que já não arde – insuportáveis tornam-se as utopias de olhos fechados e cabelos à lua.

3 comentários:

S. disse...

Breve chegarão momentos de Primavera ou Verão, com árvores cheias de flores e frutos, coloridas. Os frutos serão saborosos e não estarão apodrecidos. Também nessa altura, irá haver mais Sol a raiar, luz que toca na pele.
Se a chama que há dentro de ti se apagou, volta a acendê-la e não deixes de sonhar, porque nem todos os sonhos são impossíveis :-)
Beijinhos

Cátia disse...

Cada vez acredito mais nisso - que nem todos os sonhos são impossíveis. :)
Obrigada.
Beijo!

Nádia disse...

trsite mas belo e sentido